Fernando Tavares

Fernando Tavares

terça-feira, 7 de dezembro de 2021

Yes - Tales from Topographic Oceans


Olá Pessoal!

Nesta semana temos no site uma coluna com a análise das linhas de baixo de Chris Squire no álbum Tales from Topographic Oceans. Nela demonstramos diversos exemplos de linhas criadas pelo baixista e nas quais analisamos a parte harmônica, melódica e rítmica do estilo do músico.

Este material faz parte de um acervo disponível como material de apoio para as minhas aulas de contrabaixo presencial e on-line.

Para maiores informações sobre o curso entre em contato pelo e-mail: femtavares@gmail.com

Tales from Topographic Oceans - Yes




Exemplo 1 - The Revealing Science of God


Este trecho corresponde a base da voz e é repetido durante a primeira parte da música. E ocorre por volta de 3’05". Reparem que no primeiro tempo existe uma pequena variação da frase, tirem como base para os outros trechos a linha do segundo compasso. A escala escolhida para construir esta frase é a pentatônica, atente para o slide no segundo tempo. Este trecho requer muita velocidade do músico, pois, trabalha com sextinas e fusas.


Exemplo 2 - The Revealing Science of God


Este trecho se inicia aos 7’02” e corresponde a segunda base de voz. Ele foi construído com os intervalos de fundamental, quarta e quinta dos respectivos acordes. Para entender melhor a frase, divida-a a cada 1 tempo e meio, ou seja, ela começa no primeiro tempo e depois se repete a partir do contratempo do segundo tempo. Em várias músicas deste álbum, Chris Squire utiliza este tipo de pensamento para construir algumas linhas de baixo, sendo que estes “deslocamentos” de tempo é uma de suas principais características.


Exemplo 3 - The Remembering


Estes acordes correspondem a toda a introdução da música. O baixista toca as fundamentais correspondentes e somente neste trecho (2’00”) inicia-se uma linha com frases no Baixo. Sobre o primeiro acorde (Dm) Chris Squire utiliza a tríade na cabeça de cada tempo, mas com uma pequena variação no terceiro tempo deste compasso, quando ele utiliza a quarta como uma apogiatura para a quinta do acorde. No segundo compasso é utilizada a escala Mi menor. No terceiro compasso o baixista repete a ideia do primeiro compasso, com a substituição da apogiatura por um slide entre as notas (Sol e Lá). Por fim, no quarto compasso é usada a tríade de Mi menor para construir a frase.


Exemplo 4 - The Remembering


Este trecho é a base para um pequeno solo de steel-guitar. O baixista utilizou a fundamental, a quinta e a oitava para construir as frases deste trecho. A dificuldade aqui se refere a quantidade de notas da frase e a primeira nota que é deslocada da cabeça do compasso. Este trecho ocorre por volta de 10’19".


Exemplo 5 - The Ancient


Este trecho corresponde a introdução do solo de teclado e ocorre por volta de 4’33”. Somente a fundamental e a oitava acima são usadas para construir a frase. A dificuldade deste trecho é que a nota mais grave sempre é acentuada com o bumbo e ela é feita aleatoriamente. No exemplo que transcrevemos, o baixista acentuou no primeiro e no quarto tempos do primeiro compasso e no segundo compasso acentuou no segundo tempo. No terceiro compasso o acento aparece no primeiro tempo, e no quarto compasso volta a ser acentuado no segundo tempo.


Exemplo 6 - The Ancient


Este trecho ocorre por volta de 7’02” e é uma frase feita por todos os instrumentos utilizando contrapontos. O compasso está em 7/4 e o baixista toca todas as notas em stacato. Além disso, ele utiliza a escala de Ré Maior como base e também uma sétima menor (Dó) como blue note neste trecho. Esta nota aparece para completar o cromatismo.


Exemplo 7 - Ritual


Este trecho corresponde a uma pequena parte da introdução e inicia-se por volta de 2’12”. O baixista criou a frase em cima da escala mixolídio de Ré maior e a nota mais enfatizada neste trecho é a nota Lá que corresponde ao intervalo de quinta do acorde. A dificuldade desta frase está na variação rítmica utilizada pelo baixista nas repetições. Quando a música vai para Dó maior, o baixista segue o mesmo conceito para construir a frase.


Exemplo 8 - Ritual


Este trecho ocorre por volta de 8’28” e está entre duas bases de voz. O baixista aproveita este pequeno interlúdio para fazer um solo de Contrabaixo, utilizando muitos slides na execução. São dois acordes por compasso, mas foi utilizado somente o segundo acorde como referência para a construção da frase. A pentatônica de cada um destes acordes é a escala utilizada para construir as frases.


É isso aí pessoal. Bons estudos e até a próxima!

Nenhum comentário: