sexta-feira, 24 de setembro de 2021

Artigos & Resenhas - CD Older Than Time / Canyon - Por Luiz Domingues

 

Olá pessoal! 

Estamos de volta com mais uma coluna Artigos e Resenhas aqui no nosso site. Dessa vez o sensacional Luiz Domingues nos fala sobre o álbum "Older Than time" do grupo de Rock Progressivo Canyon.

A matéria original pode ser encontrada neste link.

http://luiz-domingues.blogspot.com/2019/07/cd-older-than-time-canyon-por-luiz.html

Lembrando que o nosso amigo possui três blogs diferentes que estão nos links abaixo.
http://luiz-domingues.blogspot.com.br/
http://blogdoluizdomingues2.blogspot.com.br/
http://luizdomingues3.blogspot.com.br/

Sem mais, vamos ao texto do Luiz:

CD Older Than Time / Canyon - Por Luiz Domingues


O CD “Older Than Time”, é o mais recente lançamento da excelente banda, Canyon, oriunda de São Luís, a capital do estado do Maranhão. 

Bem, como é público e notório, essa bela capital nordestina tem uma forte tradição em torno do Reggae e para muitos críticos musicais, é considerada um pedaço da Jamaica no Brasil, tamanha a força de tal cena ali. Entretanto, é um erro crasso estigmatizar uma cidade (e um estado), por um único estilo musical, pois é evidente que isso não é uma verdade absoluta, visto que outros segmentos são bem apreciados, ainda mais ao tratar-se de uma capital com vida cultural pulsante e sintonizada no pensamento cosmopolita, naturalmente. 

Pois o Canyon é um bom exemplo de como a cidade tem artistas sintonizados em outras escolas, pois eis aqui uma banda fortemente influenciada pelo Rock dos anos setenta, e sobretudo focada nas vertentes do Hard-Rock e Progressive Rock. Desde 2009 na estrada, essa banda já tem muitos lançamentos em sua ótima discografia e agora acrescenta o excelente álbum, “Older Than Time” em seu currículo.

Neste novo trabalho, o Canyon mantém a sua determinação em trabalhar com afinco entre essas duas vertentes citadas acima, com muita qualidade técnica, criatividade e inspiração. E também segue a cantar em inglês, uma escolha certamente a visar uma adequação ao mercado internacional, portanto trata-se de uma aspiração válida. 

Gostei muito do capricho da banda no tocante aos arranjos. Nada escapa, há um trabalho minucioso para dar um bom acabamento, com pontes e convenções que enriquecem o trabalho. Os timbres dos instrumentos também agradaram-me bastante, a buscar o máximo da identidade vintage, algo vital para um tipo de banda que busca a sua inspiração em influências tão nobres do passado. 

E para completar o assunto sobre o áudio, esse álbum detém um padrão de gravação muito bom, com uma mixagem correta, onde ouve-se tudo no lugar, devidamente. 

É também sensacional, saber que o baterista da banda, Ítalo Silva, foi o técnico de som no processo de captura, mixagem e masterização, deste trabalho, ao demonstrar talento extra e mais do que isso, saber como ninguém que som buscar nessa complexa operação técnica, em suas três etapas.


No tocante à capa, gostei bastante da ilustração frontal. Plena em simbolismo, evoca muitos signos do esoterismo, shamanismo, sabedoria ancestral e afins. Trata-se da figura de um ancião (talvez indígena pelas suas feições), devidamente desconstruído no sentido abstrato, a lembrar vagamente uma menção ao estilo cubista, com uma caverna às suas costas, a sugerir muitas camadas e denotar dessa forma, a questão da passagem do tempo. 

De fato, como o título da obra sugere, é mais velho que o tempo o local onde alojam-se os segredos herméticos. Em suma, uma bela ilustração para sacramentar uma temática tão grandiosa e misteriosa. Além do mais, gostei muito da sua resolução em si, rica em sua arte, com muitos detalhes nas bordas, ou seja, a se tratar de um trabalho muito caprichado. 

E tudo melhora quando toma-se conhecimento de que o responsável pela criação e lay-out desse ótimo trabalho gráfico é um outro um componente da própria banda, no caso, Ramon Silva. Portanto, o controle total da embalagem, tanto no áudio, quanto na parte gráfica, faz do Canyon uma banda com a uma qualidade a mais, e que revela-se como algo extraordinário em termos de autossuficiência artística e operacional.

Por enquanto, o álbum existe apenas virtualmente, entretanto, a banda planeja o seu lançamento em plataforma física, em formato de CD tradicional, para breve. Em relação às canções em si, eu tenho algo mais a acrescentar. 

Ouça o álbum na plataforma, “Bandcamp”, enquanto segue a ler esta resenha.


“Fight Them”

Eis aqui umm belo Hard-Rock, com ênfase no riff bem construído, a conter peso e com elementos Prog-Rock, inclusos. Revela-se muito boa a intervenção de um solo de sintetizador, além de uma parte desdobrada da condução rítmica. Apreciei também o peso do baixo a sugerir o uso de bicordes como um recurso interessante.

“Hard Life”

O início a conter arpejos rápidos, lembrou-me bastante o trabalho do Rush em seus primeiros dias. A ótima melodia é amparada por uma base harmônica bem bonita. O refrão manteve o padrão, com uma fluência muito boa. 

Gostei também da parte desdobrada e dos efeitos obtidos via sintetizador. Uma mudança brusca vem a seguir e a música caminha para um tema mais pesado, onde a linha de bateria impressiona pela condução técnica, muito boa. Eis que mais um riff muito criativo surge, e desta vez com um ar diferente, quiçá inspirado em trilha sonora para o cinema, tamanha a sua grandiloquência. E o detalhe ao final, é singelo, quando ouve-se um harmônico a sugerir o sinal sonoro que antecede recados em saguão de aeroporto.

“Sorceress”

A impressão que eu tive ao ouvir esse vigoroso Hard-Rock, foi imediata em lembrar-me do som do grupo de Rock britânico, "UFO", nos anos setenta, onde a boa melodia sempre andava em sintonia com a condução vibrante e trata-se exatamente dessa prerrogativa que o Canyon fez uso nesta música.

“Sleeping Lady”

Essa é uma bela balada e a conter surpresas em seu decorrer. Começa com um emotivo solo de guitarra com a banda a estabelecer uma condução excelente e onde sobressai o bom uso dos timbres para cada instrumento. E a seguir, não há nada melhor que uma sonoridade mais amena, onde a massa sonora mais atenuada dá margem para que se preste uma melhor atenção em tal tipo de detalhe. 

A beleza dessa harmonia, muito bem amparada pela divisão rítmica, ativou a minha memória no sentido para lembrar-me do trabalho do "Renaissance", outra memorável banda Pro-Rock britânica dos anos setenta. Bem ao estilo Progger, a suíte evolui para apresentar um ótimo solo ao sintetizador, com o apoio de um ritmo quebrado e assim vai até o final, mediante mais sutilezas rítmicas e o bom uso dos teclados.

“Iron Giant”

Apesar do Riff com teor Bluesy, temos aqui um tema com forte orientação Prog-Rock, de novo e certamente a lembrar em alguns aspectos o som do grupo germânico, "Guru-Guru", para que dessa maneira, se possa igualmente buscar a identidade da escola Krautrock setentista. Em suma, só boas influências para redundar em uma boa resolução.

“Lunar Eclipse”

Mais uma canção a explorar muito bem o uso de teclados. Há um solo super climático, realizado com extrema sensibilidade, gostei muito.

“Older Than Time”

Há novamente, como na faixa anterior, uma certa percepção em prol do Blues-Rock. Uma parte amena sobrevém e a canção encerra-se mediante o uso de um Riff que finaliza-se, abruptamente.

“Questions No Answers”

Eis um Soft-Folk com um trabalho muito bonito dos vocais, inclusive com o uso do recurso do contraponto. Mostra-se muito bom o solo de guitarra e o mesmo se observa em relação à parte mais pesada e igualmente, o uso de uma locução com a voz bem processada, a conferir uma eloquência.

Estou feliz por verificar que o Canyon está a prosseguir com muita força em sua trajetória. Mais do que persistir, enxergo um frescor em seu trabalho, fruto naturalmente da experiência adquirida em conjunto com a qualidade individual de seus componentes e com um dado a mais, a criatividade que é uma questão de talento nato. 

Além de todos esses elementos, há a questão da cultura Rocker avantajada que esses rapazes possuem e assim, parece muito óbvio que fazer boa música é algo natural para quem conhece profundamente, as suas próprias influências. Sendo assim, a minha recomendação é evidente, o Canyon merece a nossa atenção, apreço e apoio, sempre.


Gravado, mixado e masterizado no Aeon Studio de São Luís-MA
Técnico de som (captura, mixagem e masterização): Ítalo Silva
Produção: Ítalo Silva e Canyon
Capa (criação e Lay-out): Ramon Silva

Formação do Canyon:
Ítalo Silva: Bateria
Jobson Machado (Guitarra, Teclados e Voz)
Leo Vieira (Baixo e Flauta)
Ramon Silva (Guitarra e Voz)

Para conhecer melhor o trabalho da banda, acesse:
Página do Canyon no Facebook:


E através das plataformas digitais:
Spotify, Deezer, Onerpm, Apple, Google Play e Bandcamp.


É isso aí pessoal!
Espero que curtam o som desta super banda!

terça-feira, 21 de setembro de 2021

Transcrição Exclusiva para Alunos - Jamiroquai - Seven Days In Sunny June

  


Olá Pessoal!

Nesta semana temos a transcrição da linha de baixo da música "Seven Days In Sunny June" da banda Jamiroquai disponível para os alunos do meu curso de contrabaixo presencial e on-line.

Esta transcrição faz parte de um acervo com mais de 1000 linhas de baixo disponíveis como material de apoio para as minhas aulas de contrabaixo presencial e on-line.

Para maiores informações sobre o curso entre em contato pelo e-mail: femtavares@gmail.com

Abraços e até a próxima matéria!

terça-feira, 14 de setembro de 2021

Coluna de Baixistas - O Estilo de Jeff Berlin


Olá Pessoal!

Nesta semana temos no site uma matéria especial sobre o estilo musical de Jeff Berlin. Nela demonstramos diversos exemplos de linhas criadas pelo baixista e nas quais analisamos a parte harmônica, melódica e rítmica do estilo do músico.

Este material faz parte de um acervo disponível como material de apoio para as minhas aulas de contrabaixo presencial e on-line.

Para maiores informações sobre o curso entre em contato pelo e-mail: femtavares@gmail.com

Jeff Berlin


Nascido em 17 de Janeiro de 1953 em Long Island, NY. Jeff Berlin é um dos maiores virtuoses do Contrabaixo Elétrico e é considerado um dos maiores nomes do Jazz-Rock/Fusion. Dono de uma técnica espetacular, possui profundo conhecimento sobre harmonia e improvisação e também domina as técnicas de Slap e Two Hands, as quais utilizou no início de sua carreira.

Seus pais eram músicos e iniciou sua carreira musical aos nove anos tocando violino, aos 14 decidiu tocar contrabaixo tendo como principal influência o baixista Jack Bruce (Cream). 

Berlin desenvolveu sua carreira em Nova York durante os anos 70 tocando com Allan Holdsworth e Tony Willians. Em 1975 gravou na Europa o disco “Story of I” com o tecladista Patrick Moraz (Yes) e voltou a seguir para Nova York e passou a trabalhar como músico de estúdio e sideman. A lista de músicos com quem o baixista trabalhou é extensa, mas podemos citar seu trabalho nos discos solos do baterista Bill Bruford (Yes, Genesis e King Crimson), com Herbie Man, com Allan Holdsworth, com o projeto Anderson-Bruford-Wakeman-Howe entre outros. Iniciou sua carreira solo em 1985 com o álbum “Champion” lançando diversos álbuns durante os anos 2000, lançou também duas vídeo aulas.

Exemplo 1 - Bach 


No exemplo 1 temos um trecho da música “Bach”, este é um ótimo exercício para pedal Point.


Exemplo 2 - Bach 

No exemplo 2 temos uma sequencia de Arpejos bem legais extraídos da mesma música.
Esta música foi publicada por mim em várias revistas e sites, de uma “vasculhada” pela net, não será difícil achar a transcrição completa.


Exemplo 3 - Road Games 

No exemplo 3 temos um dueto feito por Jeff Berlin e o guitarrista Allan Holdsworth na música Road Games.


Exemplo 4 - Joe Frazier (Round Two) 


No exemplo 4 temos o tema principal da música Joe Frazier (Round Two).


Discografia

Álbuns indicados para audição vêm com um * antes.

Álbuns como Artista Solo
1985 Jeff Berlin & Vox Humana - Champion
*1986 Jeff Berlin - Pump It!
1997 Jeff Berlin - Taking Notes
1998 Jeff Berlin - Crossroads
*2000 Jeff Berlin - In Harmony's Way
2004 Jeff Berlin - Lumpy Jazz
2006 Jeff Berlin - Aneurythms/Ace of Bass
2010 Jeff Berlin - High Standards
2013 Jeff Berlin - Low Standards

Álbuns como Sideman ou como Integrante da banda
1976 Patrick Moraz - The Story of!
1976 Esther Phillips - Capricorn Princess
1976 Patti Austin - End of a Rainbow
1976 David Matthews with Whirlwind - Shoogie Wanna Boogie
1976 Gil Evans - Tokyo Concert
1977 Ray Barretto - Eye of the Beholder
1977 David Liebman - Light'n Up, Please!
1977 Ernie Krivda - Satanic
*1977 Bill Bruford - Feels Good to Me
1977 Pee Wee Ellis - Home in the Country
1978 Don Pullen - Montreux Concert
*1979 Bill Bruford - One Of A Kind
1980 Bill Bruford - Gradually Going Tornado
1980 Bill Bruford - Bruford Tapes
1980 Poussez! - Leave That Boy Alone!
1980 Passport - Lifelike
1980 David Sancious - Just as I Thought
*1981 Herbie Mann - Mellow
*1983 Allan Holdsworth - Road Games
1983 Janis Ian - Uncle Wonderful
1984 Clare Fischer - Crazy Bird
1985 Schumate-Reno Jazz Quintet - Hurricane
1986 Bill Bruford - Master Strokes 1978-1985
1986 T Lavitz - Story Time
*1987 Henderson-Berlin-Smith-Lavitz - Players
*1987 Kazumi Watanabe - The Spice of Life
1988 Kazumi Watanabe - The Spice of Life Too
1989 KD Lang - Even Cowgirls Get The Blues
1990 Pete Levin - Solitary Man
1993 Anderson-Bruford-Wakeman-Howe - An Evening of Yes Music Plus
1994 Nathan Cavaleri Band - Nathan
1995 Richie Kotzen - The Inner Galactic Fusion Experience
1995 Michael Zentner - Playtime
1996 T Lavitz - Gossip
2000 Richard Davies - Barbarians (Bateria)
2001 Herbie Mann - Mellow/Hold On, I'm Coming
2001 Klaus Doldinger - Works & Passion
2002 Herbie Mann - Best of the Atlantic Years
2002 Twinemen - Twinemen
2002 Various Artists - Grand Theft Auto: Vice City (Soundtrack)
2002 Yes - In a Word
2004 Richard Drexler - Señor Juan Brahms
2004 Catie Curtis - Dreaming in Romance Languages (Bateria)
2004 Weepies - Happiness (Bateria)
2004 Novocento - Featuring...
2006 Bow Thayer - Maintenance for Mood Swings (Bateria)
*2006 Chambers-Berlin-Fiuczynski-Lavitz - Boston T Party
2006 Richie Kotzen - Instrumental Collection: The Shrapnel Years
*2006 Billy Cobham - Drum N Voice 2
2007 Paddy Saul - One Town Tasted
2008 Meg Hutchinson - Come Up Full
2008 Erica Wheeler - Good Summer Rain (Bateria)
2009 Bill Bruford - Best of Winterfold
2010 Meg Hutchinson - The Living Side
2010 Dann Glenn - Eleven Eleven Orchestra Ace of Bass King
2012 Henderson-Berlin-Chambers – HBC
2013 Nick Miller – My Memories

Videografia
2000 Jeff Berlin - Star Licks (VHS)
2006 Jeff Berlin - Mel Bay Bass Logic (DVD)
2007 Bill Bruford - Rock Goes To College (DVD)

Bons estudos, um abraço e até a próxima!

terça-feira, 7 de setembro de 2021

Transcrição do Mês: Frank Zappa - Sofa Nº 1

  

 

Olá Pessoal!


Nesta semana temos a transcrição da linha de contrabaixo da música "Sofa Nº 1" do guitarrista Frank Zappa disponível gratuitamente no meu site. Esta música conta com o baixista Tom Fowler.

Link para Transcrição Completa - Clique aqui

https://www.dropbox.com/s/9f8q02yheof5o80/Frank%20Zappa%20-%20Sofa1.pdf?dl=0


Esta transcrição faz parte de um acervo com mais de 1000 tablaturas/partituras que são usadas como material de apoio nas aulas do meu curso de contrabaixo presencial e on-line.


Para maiores informações sobre o curso entre em contato pelo e-mail: femtavares@gmail.com


Bons estudos e até a próxima coluna!