quinta-feira, 18 de julho de 2024

Dissertação de Mestrado: Fernando Tavares - A Arte do Partimento em sua história, fundamentos, práticas e discussão musicológica: análise historiográfica para a consolidação de um saber para a pedagogia da música

 Olá pessoal!

Estou aqui hoje para informar que a minha dissertação de mestrado "A Arte do Partimento em sua história, fundamentos, práticas e discussão musicológica: análise historiográfica para a consolidação de um saber para a pedagogia da música" está disponível no banco de Teses e Dissertações da USP (Universidade de São Paulo).

https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27157/tde-27062023-100608/pt-br.php

Essa pesquisa se iniciou por volta de Março de 2018, quando ingressei no LAMUS-EACH (Laboratório de Musicologia da Escola de Artes, Ciências e Humanidades. Em 07/02/2019, sob orientação de Diósnio Machado Neto ingressei no programa de Mestrado em Musicologia da Escola de Comunicações e Artes da USP e fui aprovado em 25/10/2021. 

Agora estou no Doutorado na mesma instituição e sob a orientação de Diósnio Machado Neto novamente, para analisarmos a obra de José Maurício Nunes Garcia. Fiquem de olho nos artigos que publicamos sobre a pesquisa.

Resumo

No decorrer do século XVIII desenvolveu-se nos Conservatórios de Nápoles uma maneira eficaz de ensinar música conhecida como partimento. Tal método consistia em transmitir os parâmetros musicais por linhas de baixo que continham combinações de notas compreendidas pelos músicos e que lhes proporcionavam informações para a realização de esquemas harmônicos e contrapontísticos. Estes esquemas eram usados para o exercício da improvisação e composição. O modelo de ensino pelos partimentos circulou por toda a Europa através das mãos de mestres que trabalharam ou formaram músicos para as diversas cortes do Antigo Regime. Na década de 1990, iniciou-se um movimento pela compreensão deste modelo de ensino e a partir da segunda metade da década de 2000, diversos trabalhos consolidaram a revisão metodológica deste modelo de ensino. Utilizando-se destes textos contemporâneos que revisitaram e reconstruíram o modelo de ensino pelo partimento, apresentamos nesta dissertação uma revisão bibliográfica com base no trabalho de musicólogos, analistas e teóricos musicais que escreveram sobre este assunto. Com base nos dados coletados, analisamos as informações obtidas e descrevemos como eram as principais escolas, mestres, conteúdos e características do ensino buscando a compreensão dos debates musicais que estavam sendo promovidos pelos músicos do período. A conclusão das análises nos fez compreender o método e criar uma base importante para a execução de um projeto futuro que visa demonstrar o benefício do ensino dos partimentos para auxiliar no ensino das disciplinas de criação musical.

Palavras-chave: Partimento. Contraponto. Conservatórios Napolitanos. Análise Musical. Música Galante.

terça-feira, 9 de julho de 2024

Teoria & Análise - Estudos Ritmicos - Parte 3

Olá pessoal!

Nesta semana temos a terceira parte do nosso curso sobre leitura rítmica aqui no site. O estudo do ritmo é um dos aspectos mais importantes do aprendizado musical.

Acesse o material da coluna 2 no link http://www.femtavares.com.br/2024/05/teoria-analise-estudos-ritmicos-parte-2.html

Este material faz parte de um acervo produzido por mim, relacionado às minhas pesquisas sobre contrabaixo, análise e teoria musical.

Para mais informações, entre em contato pelo e-mail: femtavares@gmail.com.

Compassos

Os compassos são séries de ritmos distribuídos em medidas de igual duração, separadas por barras chamadas de barras de compasso. Os compassos são escritos em forma de fração; esses números indicam: 



A unidade de tempo indica a qualidade, isto é, a figura que vale um tempo dentro do compasso. Os valores são especificados da seguinte maneira:


N. 2 = mínima
N. 4 = semínima
N. 8 = colcheia
N. 16 = semicolcheia
N. 32 = fusa
N. 64 = semifusa

A unidade de compasso indica a quantidade de tempos no compasso. Os números significam:


2 = compasso binário
3 = compasso ternário
4 = compasso quaternário

Por exemplo, no compasso 4/4, ele nos indica que um tempo vale uma semínima, ou seja, precisamos de quatro semínimas para preencher um compasso.



Unidade de figura - Subdivisão da unidade de tempo. Exemplo: Uma semínima em duas colcheias; uma semínima pontuada em três colcheias.


Compassos simples

São assim denominados pois contêm valores sem ponto de aumento, ou valores simples.



Compassos Compostos

Recebem este nome pois contêm valores com ponto de aumento. O ponto de aumento indica que o valor deve ser aumentado em metade do seu valor. Para transformar um compasso simples em um compasso composto, multiplicamos o numerador do simples por 3 e o denominador por 2.

Exemplo: Transformar um compasso binário 2/4 em binário composto:

2 x 3 = 6
4 x 2 = 8


Compassos mistos ou alternados

São compassos que resultam da soma de dois compassos.

Exemplo: O compasso de 5/4 é a soma de um compasso 2/4 mais um 3/4, ou o contrário.

Encerramos os estudos por aqui e na próxima coluna mostraremos um pouco mais sobre as fórmulas de compasso.

Abaixo, indicamos alguns manuais básicos para o aprofundamento dos estudos rítmicos

POZZOLI, Heitor. Pozzoli: guia teórico-prático para o ensino do ditado musical. São Paulo: Moog Ricordi, 1990.

GRAMANI, José Eduardo. Rítmica. São Paulo: Perspectiva, 2019.

LACERDA, Oswaldo. Exercícios de teoria elementar da músuca. São Paulo: Ricordi Brasileira S.A., 2002.

Este artigo faz parte da minha coleção, que inclui diversos estudos sobre contrabaixo, teoria e análise musical.

Para conferir alguns dos trabalhos e artigos que publiquei, acessem o link:

http://www.femtavares.com.br/p/midiaimpressa-fernandotavares-sempre.html

Para obter mais informações, entrem em contato pelo e-mail: femtavares@gmail.com

Redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/femtavares
Instagram: https://www.instagram.com/femtavaresbaixo

Bons estudos e até a próxima coluna!

Fernando Tavares utiliza cordas Giannini e cabos Datalink.

quinta-feira, 4 de julho de 2024

Discografia - Fernando Tavares

 Olá pessoal!



Compartilho aqui alguns álbuns da minha discografia. Eles estão disponíveis gratuitamente nos serviços de streaming.

Deixo os links do Spotify, mas eles podem ser encontrados em outros serviços.

Apostrophe' Duo - Smoking Pipe - CD




Apostrophe' Trio - Apostrophe'  - CD



Medusa Trio - 10 Anos - CD




Medusa Trio - Peso Pesado - EP



Liar Symphony – Choosing The Live Side – CD/DVD




Dead Man Walking - All My Hate - CD



Hotspot Project – Volume 1 - CD



Lee Recorda - Olhando a Vida de Cima do Ponto Central  - CD




Maurício Fernandes - Alone in the night




Abraços e até a próxima postagem!

segunda-feira, 1 de julho de 2024

Exercícios - Parte 5 - Exercícios intermediários para mão direita

  

Olá, pessoal!

Nesta semana, trago a quinta coluna de exercícios de técnica, na qual abordarei diversos pensamentos sobre o desenvolvimento de uma técnica mais precisa para as mãos direita e esquerda.

Nas três primeiras colunas, abordamos os exercícios elementares para a mão direita e esquerda, e hoje avançamos para os exercícios intermediários destinados à mão direita.

Este material faz parte de um acervo produzido por mim, relacionado às minhas pesquisas sobre contrabaixo, análise e teoria musical.

Para mais informações, entre em contato pelo e-mail: femtavares@gmail.com


Exercícios intermediários para mão direita - Técnica de pizzicato com três dedos

Os exercícios de preparação para a técnica de três dedos são essenciais para o desenvolvimento e fortalecimento da destreza desses dedos, especialmente o dedo anelar, que é menos utilizado e menos forte do que os outros dedos. Aqui estão algumas sugestões sobre como estudar esses exercícios com sucesso:

A postura e o método adequados: Certifique-se de estar na postura correta antes de começar os exercícios. Mantenha a mão relaxada e curve os dedos sobre as cordas. 

Foco no Dedo Anelar: Faça exercícios para fortalecer o dedo anelar. Ele pode ser mais fraco e menos ágil, então leva mais tempo para se tornar melhor. Melhorar a coordenação deste dedo é o objetivo de exercícios específicos.

Comparação de Sons: Enquanto praticar, observe se o som que o dedo anelar produz é semelhante ao dos outros dedos. Certifique-se de que a sonoridade de todos os dedos seja a mesma, garantindo que o anelar não emita um som menos forte ou definido.


Página 1


Página 2



Persistência e Paciência: Aprimorar a técnica dos três dedos requer tempo e prática regular. Se o dedo anelar parecer incoerente no início, não desanime. Você verá melhorias substanciais se tiver paciência e persistência.

Feedback e Orientação: Procure orientação de um professor de música ou de um músico experiente se for possível. Eles podem dar conselhos e feedback personalizados para ajudá-lo a usar melhor os três dedos e fortalecer o dedo anelar. Lembre-se de praticar frequentemente e com atenção. Com dedicação e concentração

Lembrando que este material faz parte de um acervo produzido por mim, relacionado às minhas pesquisas sobre contrabaixo, análise e teoria musical.

Para mais informações, entre em contato pelo e-mail: femtavares@gmail.com

Bons estudos e até a próxima coluna!

Fernando Tavares é mestre em Musicologia pela ECA-USP, pesquisador, professor e contrabaixista. Contribuiu com diversas publicações para revistas especializadas em contrabaixo e hoje é membro do LAMUS (Laboratório de Musicologia da EACH-USP Leste), do CEMUPE (Centro de Musicologia de Penedo) e do LEDEP (Laboratório de Educação e Desenvolvimento Psicológico da EACH-USP Leste).