sábado, 31 de outubro de 2020

Álbuns Clássicos - Hermeto Pascoal - Slaves Mass


Olá pessoal!

Nesta semana temos o álbum Slaves Mass do importantíssimo músico brasileiro Hermeto Pascoal.

Este foi o segundo disco gravado por Hermeto Pascoal nos Estados Unidos e contou com a participação de músicos renomados do Jazz/Fusion. Todas as músicas foram compostas e arranjadas por Hermeto Pascoal.
Neste álbum Hermeto toca Piano acústico, Fender, Rhodes, Recorder, Clavinete, Sax Soprano, Flauta e violão.
Os maiores destaques do disco são as músicas Tacho, Chorinho Pra Ele e Aquela Valsa nas quais Hermeto demonstra seu vasto conhecimento harmônico e de musica brasileira.


Faixas:

1.Tacho (Mixing pot) – 9:18
2.Missa dos escravos (Slaves mass) – 4:19
3.Chorinho para ele (Little cry for him) – 2:11
4.Cannon (Dedicated to Cannonball Adderley) – 5:20
5.Escuta meu piano (Just listen) – 7:08
6.Aquela valsa (That waltz) - 2:46
7.Geleia de cereja (Cherry jam) – 11:45

Músicos:



Hermeto Pascoal: Piano, Teclado, Clavinete, Melodica, Sax Soprano, Flauta, Violão e Voz (em "Cannon").

 Flora Purim: Voz (em "Missa dos Escravos" e "Cannon").
 Airto Moreira: Bateria (exceto "Tacho"), Percussão e Voz (em "Cannon").
 Chester Thompson: Bateria (em Tacho).
 Ron Carter: Baixo Acústico (exceto Tacho).
 Alphonso Johnson: Baixo Elétrico (em Tacho).
 Raul de Souza: Trombone e Voz (em "Cannon")
 David Amaro: Guitarra e Violões.
 Hugo Fattoruso: Voz (em "Cannon").
 Laudir de Oliveira: Voz (em "Cannon").


Abraços e até a próxima coluna!

quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Apostilas e Songbooks - Fernando Tavares

Olá pessoal!

Apostilas para contrabaixo - Fernando Tavares


São diversos métodos com materiais relacionados as pesquisas realizadas pelo autor durante toda a sua carreira como professor, colunista, editor e autor de matérias e estudos de contrabaixo, harmonia, educação e metodologia.

Vendas pelo e-mail: femtavares@gmail.com e pelo mercado livre nos endereços postados abaixo da publicação.

Método de Contrabaixo - Vol. 1 - Básico



Esta é a primeira parte de uma série de apostilas com aulas específicas para contrabaixo elétrico.
A apostila está dividida em 24 unidades de estudo que contém harmonia, teoria, técnica e estudos para aplicação dos assuntos aprendidos. No final ainda são disponibilizadas quatro músicas para aplicação dos estudos compreendidos na apostila. 
Os materiais são organizados desde as primeiras noções de música até a compreensão das primeiras ideias estruturais para o desenvolvimento de uma linguagem musical. Os assuntos vão desde nome das cordas até construção das escalas maiores, passando por intervalos, sendo este material intercalado com noções de leitura de partitura aplicada ao instrumento e domínio da técnica de pizzicato e de digitação para a mão esquerda.
A apostila contém 27 faixas de playbacks para aplicação dos estudos disponibilizadas em um arquivo digital.
Esta foi construída através de pesquisas e conteúdos adquiridos pelo autor como professor de Contrabaixo Elétrico durante mais de vinte anos. A ideia é que cada unidade de estudo se apresente conforme a necessidade de aprendizado do aluno, abrangendo os conceitos básicos de Harmonia, Teoria, Técnica e Repertório.

Mercado Livre

Método de Contrabaixo - Vol. 2 - Básico



Esta é a segunda parte de uma série de apostilas com aulas específicas para contrabaixo elétrico.
A apostila está dividida em 24 unidades de estudo que contém harmonia, teoria, técnica e estudos para aplicação dos assuntos aprendidos. No final ainda são disponibilizadas quatro músicas para aplicação dos estudos compreendidos na apostila.
Os materiais são organizados dando sequencia ao Método de Contrabaixo - Básico Vol. 1, e contém noções essenciais para o desenvolvimento de uma linguagem musical. Os assuntos partem de um estudo da escala maior, passando por tríades e campo harmônico, intercalando com estudos de leitura musical aplicada ao instrumento e técnicas de digitação e slap.
A apostila contém 37 faixas de playbacks para aplicação dos estudos disponibilizadas em um arquivo digital.
Esta foi construída através de pesquisas e conteúdos adquiridos pelo autor como professor de Contrabaixo Elétrico durante mais de vinte anos. A ideia é que cada unidade de estudo se apresente conforme a necessidade de aprendizado do aluno, abrangendo os conceitos básicos de Harmonia, Teoria, Técnica e Repertório.

 Mercado Livre


Padrões Melódicos para Contrabaixo



Este livro contém material para o estudo de Contrabaixo elétrico, sendo os estudos voltados para o desenvolvimento melódico do estudante através de padrões que são utilizados por diversos instrumentistas obtendo um melhor aprofundamento técnico e musical na construção e elaboração de frases e melodias. Estes padrões foram organizados através do conhecimento adquirido em aulas de contrabaixo, improvisação e composição que o autor teve durante a sua carreira.
O livro está dividido em três partes, sendo estas:
- Padrões para Tétrades
- Padrões para Pentatônicas
- Padrões para Escalas com três notas por corda
Ao aprofundar os estudos, um aluno poderá começar a propor os padrões de pentatônica para qualquer digitação que envolva duas notas por corda e os padrões para escalas para qualquer proposta que utilize três notas por corda.

 Mercado Livre


Songbook - O Melhor do Classic Rock - Volume 1



Este livro contém material para contrabaixo elétrico, apresentando transcrições no formato – cifra/ partitura/ tablatura de 15 grandes clássicos do Rock N'Roll, as músicas foram escolhidas após anos de pesquisa e trabalho do autor tocando com várias bandas em diversas casas da grande São Paulo. Estas músicas fazem parte do repertório da maioria das bandas de Classic Rock.

Transcrições

    1. Beds Are Burning – Midnight Oil
    2. Come Together – The Beatles
    3. Confortably Numb – Pink Floyd
    4. Crazy Train – Ozzy Osbourne
    5. Detroit Rock City – Kiss
    6. Have You Ever Seen The Rain? – Credence Clearwater Revival
    7. Paranoid – Black Sabbath
    8. Roadhouse Blues – The Doors
    9. Roxanne – The Police
    10. Scholl’s Out – Alice Cooper
    11. Smoke On The Water – Deep Purple
    12. Sultans of Swing – Dire Straits
    13. Under Pressure – Queen & David Bowie
    14. You Give Love A Bad Name – Bon Jovi
    15. You Shook Me All Night Long – Ac/Dc

Mercado Livre


Songbook - Fusion para Contrabaixo



Este livro contém material para contrabaixo elétrico, apresentando transcrições no formato: cifra/ partitura/ tablatura de 10 grandes músicas do Jazz-Rock/Fusion, as músicas foram escolhidas após anos de pesquisa e trabalho do autor tocando com várias bandas do estilo. 

Transcrições

    1. Pat Metheny – Bright Size Life 
    2. Mike Stern – Chromazone 
    3. Tribal Tech – Elvis at the Hop  
    4. Mahavishnu Orchestra – Hope 
    5. Marcus Miller – Panther
    6. Jaco Pastorius – Portrait of Tracy 
    7. Stanley Clarke – School Days
    8. Jeff Berlin – Tears In Heaven
    9. Allan Holdsworth – Tokio Dream
    10. Victor Wooten – U Cant' Hold No Groove

Mercado Livre


Songbook - O Melhor do Rock Nacional



Este livro contém material para contrabaixo elétrico, apresentando transcrições no formato: cifra/ partitura/ tablatura de 10 músicas das bandas de Rock Nacional dos anos 80, as músicas foram escolhidas após anos de pesquisa e trabalho do autor tocando com várias bandas do estilo.

Transcrições

    1. Engenheiros do Hawaii – Alívio Imediato
    2. Nenhum de Nós – Camila, Camila
    3. Biquini Cavadão – Chove Chuva
    4. Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens – Como Eu Quero
    5. RPM – Louras Geladas
    6. Barão Vermelho – Maior Abandonado
    7. Titãs – Marvin (Patches)
    8. Paralamas do Sucesso – Meu Erro
    9. Ultraje a Rigor – Sexo
    10. Legião Urbana – Teatro dos Vampiros

Mercado Livre


Para maiores informações envie um e-mail para femtavares@gmail.com

Consulte sobre outros songbooks do autor relacionados a bandas específicas.

Abraços e bons estudos!

terça-feira, 27 de outubro de 2020

Transcrição para Alunos - Milton Nascimento - Clube da Esquina 2


Olá Pessoal!

Nesta semana temos a transcrição da linha de baixo da música "Clube da Esquina 2" do cantor Milton Nascimento disponível para os alunos do meu curso de contrabaixo presencial e online.

Esta transcrição faz parte de um acervo com mais de 1000 linhas de baixo disponíveis como material de apoio para as minhas aulas de contrabaixo presencial e on-line.

Para maiores informações sobre o curso entre em contato pelo e-mail: femtavares@gmail.com

Abraços e até a próxima matéria!

terça-feira, 20 de outubro de 2020

Leitura Rítmica - Parte 2


Olá pessoal!

Dando continuidade aos exercícios de leitura rítmica, segue um exercício somando a semínima as figuras de semibreves e mínimas estudadas na aula anterior.

Este material faz parte do conteúdo das minhas aulas de contrabaixo presencial e on-line.

Para maiores informações envie um e-mail para femtavares@gmail.com

Acompanhe as postagens semanais no site.
Abraços e até a próxima coluna!

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Artigos & Resenhas - CD Death and Life / Chico Suman - Por Luiz Domingues


Olá pessoal! 

Estamos de volta com mais uma coluna Artigos e Resenhas aqui no nosso site. Dessa vez o sensacional Luiz Domingues nos fala sobre o álbum "Death and Life" do excelente cantor, guitarrista e compositor Chico Suman.

A matéria original pode ser encontrada neste link.

http://luiz-domingues.blogspot.com/2018/08/cd-death-and-life-chico-suman-por-luiz.html


Lembrando que o nosso amigo possui três blogs diferentes que estão nos links abaixo.

http://luiz-domingues.blogspot.com.br/

http://blogdoluizdomingues2.blogspot.com.br/

http://luizdomingues3.blogspot.com.br/


Um breve release do Luiz feito pelo próprio:


Sou músico e escrevo matérias para diversos Blogs. Aqui neste Blog particular, reúno minha produção geral e divulgo minhas atividades musicais. Como músico, iniciei minha carreira em 1976, tendo tocado em diversas bandas. Atualmente, estou atuando com Os Kurandeiros.


Sem mais, vamos ao texto do Luiz:

CD Death and Life / Chico Suman - Por Luiz Domingues


Eis que eu fico a saber que o excelente guitarrista, cantor e compositor, Chico Suman, preparava a produção de um trabalho solo, autoral. O álbum mal começara a ser preparado e eu já deduzi que seria ótimo. 
Conheço Chico Suman, há muitos anos, já havia compartilhado shows com sua ótima banda, o The Suman Brothers, em três ocasiões (por duas vezes, quando eu toquei no “Pedra” e uma com “Kim Kehl & Os Kurandeiros”), e tocamos diretamente uma vez, quando eu fui componente da Magnólia Blues Band” e ele foi o guitarrista especialmente convidado para uma das nossas apresentações. Em síntese, eu já sabia há tempos, que Chico Suman trata-se de um guitarrista da pesada, versado pelas melhores tradições do Rock, com diversas especializações em vertentes múltiplas a transitar pelo Blues, Black Music, Folk e Country Rock e sob diversas nuances clássicas desses gêneros citados e muitos outros, em um alcance a atingir principalmente a faixa temporal contida entre os anos cinquenta a setenta do século anterior, ou seja, a sua base de inspiração vem da nata da nata. 
Além de ser também um cantor com muita qualidade, Chico Suman igualmente compõe muito bem e por ser um aficionado da poesia Folk de Bob Dylan e congêneres, Chico gosta de caprichar nas letras que escreve. E para completar, é claro que cercar-se-ia de uma turma de músicos da melhor qualidade para acompanhá-lo, muitos dos quais eu conheço muito bem e sei da sua genialidade ímpar. 


Portanto, como poderia um disco que eu sabia de antemão que seria ótimo, surpreender-me em algum aspecto, no sentido de superar a minha expectativa inicial? Pois é... algum tempo depois, eis que mediante uma audição proporcionada, através do nosso amigo em comum, Cleber Lessa, ouço o álbum na íntegra, como som ambiente da casa de espetáculos, Santa Sede Rock Bar, em São Paulo, e impressiono-me com a sua audição. Mas foi mesmo quando recebi em mãos uma cópia do álbum, que pude enfim mergulhar em sua sonoridade e constatar, que sim, ele é bem melhor do que eu deduzira anteriormente, por incrível que pareça. 
Para início de conversa, Chico Suman é um raro artista no panorama do Rock brasileiro (refiro-me à atualidade de final da década dez, do século XXI), que professa um compromisso verdadeiro, umbilical e sem nenhum receio, com as mais belas tradições do Rock, Blues, da Black Music em geral e do Folk-Country Rock e sem que isso seja necessariamente uma bandeira desfraldada em torno de um acintoso resgate vintage, retrô ou a estabelecer uma ponte proposital com o passado, mas simplesmente, por Chico viver intensamente essa realidade em sua expressão artística, de uma maneira absolutamente natural, ao revelar-se alheio ao que demarcaria uma opção confessa em prol do passado. 
Na verdade, ele simplesmente vibra por tais moléculas e nesse sentido, pouco importa em que época atue, pois a sua verdade é essa e ponto final. Dessa maneira, não vejo uma melhor forma em atuar, do que ser atemporal e acaso o seu trabalho soe como algo que remeta aos anos cinquenta a setenta da década anterior, é melhor pensar que isso não importa pelo ponto de vista do “hype”, como raciocinam os críticos obtusos e/ou mal intencionados, sempre obcecados em decretar o que entra e sai da moda, mas muito pelo contrário, queiram admitir ou não, foi nesse espectro da história, onde criou-se uma excelência artística inquestionável e se Chico bebe dessa fonte, revela mais que um bom gosto pessoal, porém, acima de tudo, que possui uma base sólida, indestrutível.
E assim, o passeio que esse disco faz entre vertentes, estilos e tendências dessa fase de ouro da música em geral e do Rock, em específico, é muito bonito. Chico conduz o ouvinte ao âmago do Blues e da Folk Music, passa pelo Country-Rock e R’n’B, insinua o Blues-Rock; mergulha-nos nas águas sagradas do Rio Ganges onde as ragas espalham luzes multicoloridas e típicas dos anos sessenta. Dessa forma, voamos para bem longe, o suficiente para constatarmos que Chico conseguiu estabelecer o “religare” e de fato, a boa música está aqui, de volta, e basta apenas que liguemo-nos, entremos em sintonia e que caiamos fora do baixo astral da anticultura, que está lá fora...


Sobre as canções em específico, o álbum inicia-se com: “Morning Sunshine”, sob uma atmosfera Country Rock muito alvissareira. Ouvir tal canção, é como viajar dentro de uma Pick up, em um manhã ensolarada a trafegar de Minessota para Ohio, digamos assim. Gostei muito da pureza dos timbres dos instrumentos, principalmente na bateria, a soar com seu som natural, sem muito processamento, principalmente no tocante ao exagero do reverber, ato falho comum para nove entre dez técnicos de áudio em estúdio. Noto a presença do orgão Hammond, com pontuais desenhos bem agradáveis e dois solos de guitarra com timbres diferenciados e muito bonitos, ambos. Tem violão bem tocado e uma linha de baixo agradável. Apreciei o refrão com um sentido sob contraponto no backing vocals, que lembrou-me bastante o trabalho do "Lovin Spoonful". A letra reforça a ideia do espírito livre, que a música evoca: 

“Let my hair blow free 
 let my spirit guide me”...

A segunda faixa, apresenta: “Livin’ Alone”, a embalar um Folk-Rock muito melódico. É muito bom ouvir o som da gaita, com a vassourinha a desenhar na caixa da bateria, os belos desenhos de guitarra a propor contra-solos emotivos, violão batido, órgão Hammond a harmonizar e ao seu final, até o cântico de pássaros para fechar a canção. É como ouvir um bom disco de Bob Dylan e lembrar que o Rock tinha e precisa voltar a ter poesia, também. 

“Time has come to be alone
Dissapear like a rolling stone
sadness is eating up my heart”...

“Band of Brothers” vai fundo no Blues-Rock, com muito vigor. Solos e contra-solos de guitarra são excelentes e a banda faz uma base poderosa, com bateria, baixo, e órgão Hammond, sob forte pegada. Certas partes faladas a esmo, são bem sessentistas, a garantir uma boa dose de loucura, que é sempre essencial. Uma interessante passagem da letra, despertou a minha atenção:

“When I first started playing the blues 
more than 15 years ago 
never tried to make any money 
‘cause that’s something I don’t know 
just tried to bring some happy hours 
when my friends come home home from work”...

Pois é... música que vem do coração não é produto para vender na gôndola do supermercado, mas algo verdadeiro, ou seja, um fator observado fartamente por quem militou na senda artística musical daquelas décadas de ouro na música, e certamente que Chico Suman faz parte dessa estirpe, por falar a mesma linguagem.

“A Small Part of You” é um Slow Blues dos mais inspirados que tenho escutado nos últimos tempos. Tem uma carga emocional fortíssima, envolta em sutilezas múltiplas a conferir-lhe uma beleza incrível. Ao ouvir tal melodia linda, amalgamada por uma bela poesia, é impossível não lembrar-me que um dia tivemos a "The Band", a atuar neste planeta e certamente que o mundo foi muito melhor enquanto ela esteve a brindar-nos com a sua plena magnitude artística. A mencionar o arranjo em si, tudo soa muito belo. Teclados, "cozinha" (baixo e bateria) espetacular, e um trabalho de guitarras, magnífico. São arpejos e desenhos pontuais (clap guitar, sensacional, no melhor estilo de Steven Cropper), a marcar de forma indelével a base e com solos para arrepiar. 
O trabalho vocal destaca-se muito nessa faixa, igualmente. Trata-se de uma interpretação muito emocionante, cuja entrega total, muito lembrou-me o mestre, John Lennon, em seus momentos mais exasperantes. Tem muito do grito primal nessa construção vocal, com a inclusão de uma segunda voz, muito boa e várias intervenções a esmo, nesse sentido. É forte, intenso e muito emocionante. 

“You gave me your view about this world while all of your friends 
were watching you eyes wide open so you wouldn’t cry again"...

Em resumo, trata-se de uma canção fortíssima, e memorável.

A quinta faixa: “Keep the Light on“, investe no balanço, com um sentido mais próximo do R’n’B. Tem um riff muito bom e a banda imprime um balanço forte, para fazer o ouvinte levantar de sua confortável poltrona e balançar-se. Gostei muito das palmas, um recurso pouco usado nos dias atuais, mas que é funcional ao extremo para gerar uma interação contagiante com os ouvintes. A canção contém peso, com aquela pegada Rocker. E há também, uma chave para revelar a ideia que norteia o título do álbum, quando Chico diz: 

“Hey brother! 
Don’t pay your troubles no mind, because
 Death and life walk together”

A canção seguinte, é na verdade um mantra, literalmente. “Ganges”, investe na sonoridade da Índia, mas sob aquela estimulante roupagem ocidental e sessentista, quando o Rock mergulhou em suas águas sagradas e escreveu uma das páginas mais belas de sua história (grato, Mahatma Harrison, jai jai!). 
Sob uma batida tribal, a cítara canta solta, e em certos momentos lembrou-me o trabalho do grupo de Rock britânico, "Kula Shaker" que tentou fazer esse religare nos anos noventa e embora a raiz cultural fosse outra, também lembrou-me o trabalho do Aphrodite’s Child em “Babylon” (essa banda era grega e sessenta-setentista). Adorável a menção ao recurso do solo de guitarra em estilo “backwards”, outra marca típica dos anos sessenta. E o mantra entoado dispensa maiores explicações:  

“Namah Parvati pathaye 
Hare Hara Shankara Mahadev 
Hare Hare Hare Mahadev 
Hare Hare Hare Mahadev 
Namah Parvati pathaye 
Hare hare mahadev 
Namah Parvati pathaye”... 

“Capricorn” é um tema instrumental e muito belo. Brilha muito o baixo, com um solo espetacular e que busca o sentido melódico, sobretudo. Gostei muito da harmonia e da melodia central, proposta pela guitarra, que contém uma beleza muito grande. A base com a presença do órgão Hammond, empolga por não nos deixar respirar, mediante a ação contínua da caixa Leslie, ao espalhar-se aos quatro ventos, pela sua ventoinha. É muito bonita também a presença de um violão batido, com lindo timbre e várias camadas de guitarras a desenhar por todos os lados do pan do estéreo. Se o leitor ouvir essa canção com fone de ouvido, há de apreciar tais detalhes meticulosos.

E o disco chega ao seu final, com: “Time to Say Goodbye”, uma balada belíssima, super sessentista, pela sua construção harmônica, melódica e rítmica. Adorei a concepção da linha de bateria, com inspiradíssimas passagens pelos tambores. O efeito "staccato" em algumas partes, evoca o trabalho de bandas como, The Beatles, The Kinks, Small Faces e congêneres britânicos, mas tem também um lado norte-americano muito efusivo, quando esbarra forte no som de Crosby; Stills; Nash & Young. 
Há, paralelamente, muitos estímulos sutis nessa canção, proporcionados por todos os instrumentos que constam em sua constituição. É uma canção muito bem arranjada e tudo sob belos timbres. Inclusive ao conter um solo em duo, que abre vozes para as guitarras. A canção termina com um enigmático efeito ao teclado, a sugerir a presença de uma ventania, a levar tudo embora e de fato, a vida e a morte são manifestações do mesmo sopro vital que traz e leva... leva e traz...
Gostei dessa parte da letra:

“Don’t be afraid to fall on 
The moment you’ve been waiting for 
The future in a minute will be gone 
Take pictures of your new life 
Grow stronger from the inside 
our love will live forever in this song”... 

A respeito da capa, “Death and Life” investiu na sobriedade. O artista com a sua guitarra sobre um fundo bege e nada mais. No encarte e na contracapa, mantém o conceito, com fotos do mesmo ambiente a lembrar uma ambientação urbana mas bem rústica, com a porta de uma residência antiga, bem do início do século passado e além do artista, há uma foto com dois gatos a observar a paisagem.
 

O encarte tem uma explicação do trabalho, assinada pelo próprio, Chico Suman, em pessoa, mas sob uma forma bem poética, quase a caracterizar um manifesto de sua parte. Além de conter as letras das canções e uma boa ficha técnica.
A opção por cantar no idioma inglês, tem tudo a ver com as influências que calam mais forte na construção da personalidade artística de Chico Suman, e nesse sentido, não cabe questionamentos sobre estratégias de marketing, adotadas por ele.

Um promo com a música “Capricorn”, disponível no You Tube:


 https://www.youtube.com/watch?v=U6sehnmgCGs

Death and Life – Chico Suman

Gravado no Estúdio Gallo de São Paulo
Técnico de Som e mixagem: Bruno Mulinario
Assistente de áudio: Sidiney Souza
Assistência de Luthieria: Ivan Pieri
Arte de capa / lay-out: Geraldo Bezerra
Fotos: Gabriela Piragibe

Chico Suman: Guitarra; Violão; Voz; Harp

Músicos convidados:
Rodrigo Ramos:  Bateria e Percussão
Rafael Stranguini: Baixo (faixas 1; 6 & 7) e Órgão Hammond (faixa 4)
Daniel “Kid”: Baixo (faixas 3; 4 & 5)
Rodrigo Hid: Órgão Hammond (faixas 1 e 5)
Adriano Grineberb: Órgão Hammond (faixas 3 e 6)
Luiz Bueno: Cítara elétrica (faixa 6)
Kleiton Sabaini: Baixo (faixa 8)
Maurício Pilksuc: Baixo (faixa 8)
Collins Freitas: Órgão Hammond (faixa 7)
Mateus Schanoski: Órgão Hammond (faixa 8)
Leandro Lantin: Órgão Hammond (faixa 2)
Simone Dantas: Guitarra (faixa 8)
Victor Mulinario: Backing Vocals (faixa 1)
Fernando Olivo: Backing Vocals (faixa 1)
DJ Sgrufs: Scratch (faixa 5)

Composições; letras; arranjos e produção geral: Chico Suman

Para conhecer melhor o trabalho de Chico Suman, acesse:

Para escutar o álbum “Death and Life”, na íntegra, acesse na plataforma, Spotify:



Eis aí um trabalho que eu sabia que ficaria bom, mas que na verdade, ficou ainda melhor do que previ. Recomendo o álbum, “Death and Life” e a arte de Chico Suman!  

É isso aí pessoal!
Espero que gostem desta resenha e principalmente do álbum deste talentoso artista, Chico Suman.
Abraços e até a próxima!

terça-feira, 13 de outubro de 2020

Transcrição do Mês - Barão Vermelho - Bete Balanço


Olá Pessoal!

Nesta semana temos a transcrição da linha de contrabaixo da música "Bete Balanço" da banda Barão Vermelho que conta com o baixista Dé Palmeira disponível gratuitamente no meu site.

Barão Vermelho - Bete Balanço

Link para Transcrição Completa - Clique abaixo


Esta transcrição faz parte de um acervo com mais de 1000 tablaturas/partituras que são usadas como material de apoio nas aulas do meu curso de contrabaixo presencial e on-line.

Para maiores informações sobre o curso entre em contato pelo e-mail: femtavares@gmail.com

Bons estudos e até a próxima coluna!

quinta-feira, 8 de outubro de 2020

Apostrophe' - Vídeo e transcrição

 Olá pessoal!

Segue a parte final da música "Apostrophe'" do Apostrophe' Trio.

Neste trecho nós tocamos as partes A, B e C da música.




Na parte "A", temos a escala de Mi menor como base para a construção das frases. Ao usar esta escala como base, montamos algumas frases para cada tempo, variando tríades e saltos de notas.

 Na parte "B", temos a escala DomDim de E. As frases do baixo são construídas com os arpejos invertidos de cada nota e uma técnica de dedilhado de violão na mão direita, o famoso padrão p-i-m.

Na parte "C", temos uma variação em Lá maior. Os acordes utilizados são A - E - D, e as frases envolvem arpejos construídos com tríades e o acorde com nona, além das notas da escala da tonalidade.

A ideia principal desta música está na sobreposição de frases entre baixo e guitarra, que fornecem os efeitos que desejamos para os trechos.

Espero que curtam as frases.

Informações:

Apostrophe' Trio
Música: Apostrophe'
Autor: Fernando Tavares

Performance:
Lucas Fragiacomo - Guitarra
Fernando Tavares - Contrabaixo
Thiago Sonho - Bateria

Filmado no Family Mob por Bruna Torrezani
Editado por Renata Pereira

Abraços e até a próxima!

terça-feira, 6 de outubro de 2020

Técnicas para Contrabaixo - Slap 10


Olá pessoal!

Nesta semana abordaremos o Slap em estilos diferentes dos estudados até o momento.

Exercício 1


Este exercício é feito sobre uma levada simples de samba, utilizando a colcheia pontuada e uma semicolcheia para a construção da célula rítmica, quanto a parte harmônica são exploradas a Fundamental e a Quinta do acorde com suas respectivas oitavas.


Exercício 2


Este exercício explora um Slap sobre o partido alto que é um samba mais complexo em relação a parte rítmica. A parte harmônica é construída com a tétrade de Cmaj7.


Exercício 3


Aqui o Slap é feito utilizando uma levada de Country, este exercício é executado com o pop fazendo Double-stops, ou seja, duas cordas simultâneas. Monte o acorde pois assim a execução do exercício será mais fácil.


Exercício 4


Este exercício explora uma levada de Funk e é de difícil execução, pois neste lick tentei explorar várias técnicas que já estudamos anteriormente. Cuidado com os ligados e as notas abafadas.


Abraços e até a próxima coluna!

sábado, 3 de outubro de 2020

Baixista do mês - Paul McCartney


Olá pessoal!

Nesta semana temos uma coluna especial com Paul McCartney.

Nome: James Paul McCartney

Nascimento: 18 de junho de 1942 em Liverpool, Inglaterra


Bandas: Solo, The Beatles

Discografia: 
-The Beatles
1963-Please Please Me
1963-With the Beatles
1964-A Hard Day's Night
1964-Beatles for Sale
1965-Help!
1965-Rubber Soul
1966-Revolver
1967-Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band
1967-Magical Mystery Tour
1968-The Beatles "White Album"
1969-Yellow Submarine
1969-Abbey Road
1970-Let It Be

-Solo
1970-McCartney 
1971-Ram
1980-McCartney II
1982-Tug Of War
1983-Pipes Of Peace
1986-Press To Play
1988-CHOBA B CCCP
1989-Flowers In The Dirt
1993-Off The Ground
1997-Flaming Pie
1999-Run Devil Run
2001-Driving Rain
2005-Chaos and Creation in the Backyard
2007-Memory Almost Full
2012-Kisses on the Bottom    

-Wings
1971-Wild Life
1973-Red Rose Speedway
1973-Band on the Run
1975-Venus and Mars
1976-Wings At The Speed Of Sound
1978-London Town
1979-Back To The Egg

-The Fireman
1993-Strawberries, Oceans, Ships, Forest
1998-Rushes
2008-Electric Arguments

Vídeo Link: 


Website: www.paulmccartney.com

Abraços e até a próxima coluna!