Fernando Tavares

Fernando Tavares

terça-feira, 30 de novembro de 2021

Transcrição do Mês: Weather Report - Teen Town

 

Olá Pessoal!


Nesta semana temos a transcrição da linha de contrabaixo da música "Teen Town" da banda Weather Report disponível gratuitamente no meu site. A música foi composta e gravada pelo sensacional baixista Jaco Pastorius.

Link para Transcrição Completa - Clique aqui

https://www.dropbox.com/s/lvxnp8kxw7ga8md/Weather%20Report%20-%20Teen%20Town.pdf?dl=0


Esta transcrição faz parte de um acervo com mais de 1000 tablaturas/partituras que são usadas como material de apoio nas aulas do meu curso de contrabaixo presencial e on-line.


Para maiores informações sobre o curso entre em contato pelo e-mail: femtavares@gmail.com


Bons estudos e até a próxima coluna!

quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Baixista do mês - Stanley Clarke


Olá pessoal!

Nesta semana temos Stanley Clarke na coluna Baixista do Mês.

Nome: Stanley Clarke


Nascimento: 30 de Junho de 1951 na Philadelphia, Pennsylvania

Bandas: Return to Forever, Chick Corea, Clarke/Duke Project, SMV

Discografia:

-Solo
Children Of Forever (1973, Polydor)
Stanley Clarke (1974, Nemperor/Epic EK36973)
Journey To Love (1975, Nemperor/Epic EK36974)
School Days (1976, Nemperor/Epic EK36975)
I Wanna Play For You (1979, Nemperor/Epic EK64295)
Modern Man (1978, Nemperor/Epic)
Rocks, Pebbles & Sand (1980, Epic EK36506)
Let Me Know You (1982, Epic)
Time Exposure (1984, Epic EK38688)
Find Out (1985, Epic EK40040)
Hideaway (1986, Epic EK40275)
If This Bass Could Only Talk (1988, Portrait RK40923)
Live, 1976-1977 (1991, Epic EK48529)
Passenger 57, Music from the Motion Picture (1992, Slamm Dunk/Epic EK53232)
The Collection (1992, Castle Communications, British import)
East River Drive (1993, Epic EK47489)
At The Movies (1995, Epic Soundtrax EK67286)
Bass-ic Collection (1997, Epic EK64277)
1,2 To The Bass (2003, Epic EK 67346)
The Toys of Men (2007, Heads Up)
The Stanley Clarke Band (fea. Hiromi, Ruslan Sirota and Ronald Bruner, Jr.)(2010, Heads Up )

Como membro de banda

RETURN TO FOREVER (with Chick Corea)
Return To Forever (1972, ECM)
Light As A Feather (Polydor)
Hymn Of The Seventh Galaxy (1973, Polydor)
Where Have I Known You Before (1974, Polydor)
No Mystery (1975, Polydor)
Romantic Warrior (1976, Columbia)
Musicmagic (1977, Columbia)
Return To Forever Live (1978, Columbia)
The Best Of Return to Forever (1980, Columbia)
Echoes of an Era (with Chaka Khan)
Echoes of an Era Live (with Nancy Wilson)
The Griffith Park Band Live
The Griffith Park Collection

CLARKE/DUKE PROJECT (with George Duke)
Clarke/Duke Project (1981, Epic EK36918)
Clarke/Duke Project II (1983, Epic EK38934)
Clarke/Duke Project 3 (1990, Epic EK46012)
Live in Montreux, 1988 (1993, Jazz Door-bootleg)

STANLEY CLARKE & FRIENDS (with Larry Carlton, Billy Cobham, Deron Johnson & Najee)
Live At The Greek (1994, Slamm Dunk/Epic EK57506)

NEW BARBARIANS (with Keith Richards)
Buried Alive (bootleg)

MANHATTAN PROJECT (with Lenny White, Michel Petrucciani, Wayne Shorter)
Manhattan Project (1989)

ANIMAL LOGIC · Animal Logic (1989, IRS)
Animal Logic II (1991, IRS)
IMPLOSIONS w/Stanley Clarke, Randy Brecker, McCoy Tyner, Frank Morgan,Peter Erskine, Roger Kellaway and Ernie Watts, (1987)

STANLEY CLARKE/AL DI MEOLA/JEAN-LUC PONTY
The Rite of Strings (1995) · McCOY TYNER with STANLEY CLARKE

VERTU’(with Lenny White) · Vertu’ (1999, 550/Epic)

Jazz In The Garden (with Hiromi and Lenny White 2008) (Heads Up)
Thunder SMV with Stanley Clarke Marcus Miller and Victor Wooten (2008, Heads Up)
Return to Forever Returns (2009, Eagle Records/Fontana)

Vídeo Link:

 

Website: www.stanleyclarke.com

Abraços e até a próxima coluna!

terça-feira, 23 de novembro de 2021

Estudos de Jazz - PARTE 12 - Improvisação


Olá pessoal!

Nesta semana estudaremos as possibilidades sobre o II V I Menor obedecendo a mesma ideia da coluna anterior, uma aplicação simplificada e uma com possibilidades mais "encrencadas".

Exemplo:
Bm7(b5) (IIm7(b5)), E7 (V7) e Am7 (Im7).

A primeira ideia é trabalhar com os modos referentes a Lá Menor Eólio e Harmônico misturados.
Para o acorde de  Bm7(b5)  será utilizada a escala de Si Lócrio.
Para o acorde de E7 será utilizada a escala de Mi Mixolídio b6/b9.
Para o acorde de Am7 será utilizada a escala de Lá Menor Eólio.


A segunda ideia é trabalhar com o pensamento mais voltado para a sonoridade fusion.
Para o acorde de  Bm7(b5)  será utilizada a escala de Si Lócrio 9 (Sexto Grau da Menor Melódica).
Para o acorde de E7 será utilizada a escala de Mi Alterada.
Para o acorde de Am7 será utilizada a escala de Lá Dórico.


Toque a escala até a oitava em colcheias e tente utilizar a colcheia swingada como vimos nas colunas anteriores.

Faça os exercícios das duas colunas e tente criar frases sobre estas escalas depois de ficar com todas as opções "embaixo" dos dedos.

Transporte também para outros tons, esta ideia é importantíssima.

Abraços e até a próxima coluna!

terça-feira, 16 de novembro de 2021

Transcrição Exclusiva para Alunos - Metallica - Seek & Destroy

  

Olá Pessoal!


Nesta semana temos a transcrição da linha de baixo da música "Seek & Destroy" da banda Metallica, com o sensacional baixista Cliff Burton, disponível para os alunos do meu curso de contrabaixo presencial e on-line.

Esta transcrição faz parte de um acervo com mais de 1000 linhas de baixo disponíveis como material de apoio para as minhas aulas de contrabaixo presencial e on-line.

Para maiores informações sobre o curso entre em contato pelo e-mail: femtavares@gmail.com

Abraços e até a próxima matéria!

terça-feira, 9 de novembro de 2021

Matéria "Lugar de Baixo é na Cozinha"


Olá pessoal!

Nesta semana temos uma coluna especial que eu fiz para a antiga revista Coverbaixo. Nela eu analisei as características das linhas de baixo do Rock Progressivo.

A principal característica da cozinha do rock progressivo é a precisão. Bateria e Contrabaixo andam juntos ritmicamente dando suporte as frases de guitarras e teclados, sendo que neste estilo, são freqüentes as mudanças na fórmula de compasso e muitas frases em suas levadas. 
Apesar de existirem varias bandas influentes neste estilo, a cozinha tem características bem variadas dependendo dos músicos ou da banda. 
O baixista trabalha geralmente criando uma linha em contraponto com a melodia, ou ainda criando uma linha fixa sobre a harmonia, deixando a cargo dos outros instrumentos a parte harmônica da música. Quanto às frases, os baixistas utilizam muitas escalas para criar suas linhas cheias de variações, dando sempre preferência para a escala maior, a menor natural, a menor harmônica e a pentatônica. Ainda é bem freqüente o uso de acordes, arpejos e outros elementos muito bem explorados pelos representantes do nosso instrumento.
Os bateristas encaixam a parte rítmica nas frases do contrabaixo ou na melodia da música, utilizando sempre uma linha mais simples como base e criando algumas variações em cima dela. É importante salientar que os bateristas deste estilo, quando aparecem os compassos alternados, fazem a levada conforme o tema e não simplesmente quebrando o tempo como é feito em outros estilos. 
O Rock Progressivo é um dos estilos mais complexos para se tocar, compor ou entender. É necessária muita aplicação do músico tanto na parte harmônica, quanto na parte rítmica. Aconselho a estudar algum livro que trata de compassos alternados e o mais importante de tudo é ouvir as bandas que fizeram deste estilo um dos mais fascinantes de se tocar.

Long Distance Runaround


Esta música tem, na minha opinião, a “cozinha” mais fantástica do Rock Progressivo, que é formada pelo baixista Chris Squire e o baterista Bill Bruford. Ela foi lançada no álbum “Fragile” de 1972, realmente o trabalho feito pelos dois músicos neste álbum e particularmente nesta música é extraordinário. 

O trecho transcrito corresponde a introdução da música e que retorna mais tarde no interlúdio. O tema da introdução é feito pela guitarra e pelo teclado enquanto o contrabaixo e a bateria cuidam da levada feita sobre a célula rítmica de colcheia. Neste trecho não há mudanças na fórmula de compasso, mas a acentuação é feita sempre no contratempo do compasso anterior. Vale prestar atenção à forma musical deste trecho que é feito em nove compassos, o que não é muito comum, pois na maior parte das vezes, as partes são feitas em compassos múltiplos de quatro. Esta variação ocorre porque nos três últimos compassos a “cozinha” do Yes usa uma de suas principais característica, que são as notas pontuadas (neste caso a semínima), que faz com que tenhamos a sensação de rallentando no final, que é um recurso conhecido como hemíola. É muito interessante este recurso que Chris Squire e Bill Bruford faziam com extrema precisão. 

A linha de Baixo foi construída sobre a escala de Dó Mixolídio, sendo que o Fá sustenido que aparece na linha é uma blue-note. No final são utilizadas as fundamentais dos acordes correspondentes. Já a linha de bateria foi feita utilizando semínimas na condução, atente para o uso de caixas e bumbos feitos nos contratempos. O baterista Bill Bruford faz isto com muita freqüência em suas linhas de bateria e causa uma estranha sensação de que está tocando “fora do tempo”.


The Spirit of Radio


Esta talvez seja a “cozinha” mais famosa do Rock Progressivo. Estamos falando do baixista Geddy Lee e do baterista Neil Peart, ambos dotados de uma técnica impressionante, sendo assim os músicos constroem linhas marcantes e complexas. 

O trecho transcrito corresponde à introdução da musica The Spirit of Radio, que está presente no álbum “Permanent Waves” de 1980. Nesta faixa os músicos construíram uma linha cheia de frases de difícil execução e utilização de várias fórmulas de compasso, sendo assim, preste atenção na parte rítmica deste trecho, pois, em minha opinião é a parte mais difícil de entender. Foram utilizadas semicolcheias e tercinas de semicolcheia, que correspondem a seis notas dentro de um tempo. 

O baixista Geddy Lee utiliza a escala de Ré maior pra construir sua linha, vale ressaltar para se ter cuidado com a duração das notas, elas devem ser tocadas e ter o som cortado respeitando o valor escrito. 

O baterista Neil Peart utiliza quase todas as peças da bateria durante a execução desta parte, ele faz as frases distribuindo as notas em sua bateria já que no trecho selecionado ele não esta fazendo nenhuma levada. 

Procure estudar este trecho com muita paciência, pois ele é muito complexo e de difícil execução, procure limpar as notas e tocar junto com um baterista. Quando estiver na velocidade da música, as notas devem estar limpas e precisas, assim tenha cuidado pra não ocorrer nenhuma nota adiantada ou atrasada, além do mais,  não perca a pegada. Lembre-se a principal característica deste estilo é a precisão.


Abraços e até a próxima coluna!

terça-feira, 2 de novembro de 2021

Transcrição do Mês: Nando Reis - Por Onde Andei

  

 

Olá Pessoal!


Nesta semana temos a transcrição da linha de contrabaixo da música "Por Onde Andei" do compositor Nando Reis disponível gratuitamente no meu site.

Link para Transcrição Completa - Clique aqui

https://www.dropbox.com/s/ytfo3hi5qg52fnx/Nando%20Reis%20-%20Por%20Onde%20Andei.pdf?dl=0


Esta transcrição faz parte de um acervo com mais de 1000 tablaturas/partituras que são usadas como material de apoio nas aulas do meu curso de contrabaixo presencial e on-line.


Para maiores informações sobre o curso entre em contato pelo e-mail: femtavares@gmail.com


Bons estudos e até a próxima coluna!