Fernando Tavares

Fernando Tavares

terça-feira, 19 de abril de 2022

Harmonia aplicada no contrabaixo - Acordes - Parte 04

 
Olá pessoal!

Nesta semana continuamos a nossa série de colunas sobre acordes aqui no site.

Estas colunas saíram originalmente pela antiga revista Bass Player Brasil e fazem parte do material de apoio utilizado em minhas aulas de contrabaixo presencial e a distância.

Para maiores informações sobre as aulas, entre em contato pelo e-mail femtavares@gmail.com

ACORDES (PARTE 4) – Tríades – Acordes com três e quatro vozes para contrabaixos de 5 e 6 cordas

E como andam os estudos de acordes? 
Nesta coluna manterei as ideias passadas nas colunas anteriores, mas agora aplicaremos os padrões em contrabaixos de 5 e 6 cordas. 
Lembrando que ainda não estudamos tétrades nem inversões, que serão estudadas em colunas posteriores, portanto ainda temos algumas restrições de sonoridade, mesmo assim temos muitas possibilidades para montar acordes. 

Exercício 1

Na primeira ideia podemos montar os acordes do modelo 1 da coluna anterior em oitavas diferentes, isto ajudará a mapear o braço do instrumento. Veja na figura 1 este modelo em 4, 5 e 6 cordas em diferentes oitavas utilizando o G como fundamental.


Exercício 2


No exercício 2 apresentamos a ideia de subir uma das vozes uma oitava, isto é chamado pelos músicos de “Drop”. Sendo que o desenho 1 é o mesmo que foi apresentado na coluna anterior como modelo 2 e o desenho 2 já é pensado para um contrabaixo de 5 cordas. Para o contrabaixo de 6 basta transportar os dois modelos seguindo o raciocínio do exercício anterior. Vide figura 2.


Antes de mudarmos de assunto vale ressaltar que o estudo deve ser feito em diferentes oitavas como no exercício 1, em outras tonalidades e também utilizando as tríades; menor, diminuta e aumentada, além da maior.
 

Exercício 3


Na  primeira coluna eu falei sobre como era difícil dobrar vozes em um contrabaixo de quatro cordas, mas agora que nós “ganhamos” mais duas cordas, o dobramento já começa a ser uma opção bem interessante. O ideal é dobrar a fundamental ou a quinta do acorde, evite o dobramento das terças. Nos modelos abaixo são apresentados dobramentos da fundamental apenas. Ver figura 3.


É isso aí pessoal!
Na próxima coluna passarei uma música para podermos aplicar os estudos que fizemos nestas quatro colunas. Montarei dois arranjos, um para quatro cordas e outro para seis cordas.
Abraços e até a próxima!

Nenhum comentário: