Fernando Tavares

Fernando Tavares

segunda-feira, 1 de abril de 2019

Baixista do Mês - Stanley Clarke - Parte 1


Nascido em 30 de Junho de 1951 na Filadélfia, Stanley Clarke é reconhecido como um dos principais contrabaixistas da música popular.
Dono de uma versatilidade admirável, Stanley passeou por diversos estilos em sua carreira, sempre ao lado de grandes músicos como Chick Corea e o Return to Forever, George Duke, Stewart Copeland, entre outros. Admirado por contrabaixistas como Marcus Miller e Victor Wooten, formou com estes um super trio de contrabaixistas em 2008, conhecido como SMV. Lançou diversos álbuns com destaque para os três primeiros de sua carreira,  Stanley Clarke (1974), Journey to Love (1975), e School Days (1976).
Nesta coluna temos a primeira parte de uma matéria produzida para a antiga revista Bass Player Brasil, na qual foram estudados 10 exemplos das linhas de baixo do grande mestre.
Estas matérias estão disponíveis como material de apoio para os meus alunos de contrabaixo, presencial e/ou on-line.

Hot Fun


Este trecho corresponde à parte principal da música, nele o baixista utiliza a escala Pentatônica de Mi Menor para construir as frases no primeiro compasso e uma sequencia de notas abafadas sobre as cordas e . No segundo compasso, Stanley explora a técnica de Slap sobre as notas da escala de Mi menor Dórico, o trecho é repetido sempre com pequenas variações.



Quiet Afternoon


Este é o tema principal da música, feito com o Baixo Piccolo, que possui a afinação uma oitava acima da afinação padrão do contrabaixo de quatro cordas. No tema, o baixista utiliza bends de meio tom (consiste em tocar uma nota e subir a corda até atingir a outra nota indicada). A escala utilizada é a escala Pentatônica de Si bemol para as frases nos compassos ímpares do trecho e a escala de Mi bemol Dórico para as frases sobre os compassos pares do exemplo.



School Days


Esta é uma das linhas de contrabaixo mais conhecidas de Stanley, nela o baixista explora os chamados "bicordes", característicos da guitarra. O trecho foi construído sobre a escala de Lá Mixolídio (V grau do campo harmônico de Ré Maior) com uma passagem pelo acorde de C5 (bVII), que não faz parte deste campo harmônico, mas é um grau muito utilizado quando estamos na tonalidade maior.



School Days


Aqui está transcrito um pequeno trecho do solo de contrabaixo existente na música. O solo tem como referencia os acordes de Em, F#m, G e A, dando uma sonoridade de Mi Dórico (II grau de Ré maior), sendo explorada basicamente a Pentatônica de Si Menor para a construção das frases. Algumas características devem ser enfatizadas neste trecho, a virtuosidade e a pegada de Stanley na construção das frases e as variações rítmicas sobre um mesmo motivo melódico.



East River Drive


Esta parte corresponde ao baixo Tenor, que possui a afinação quarta acima do contrabaixo de quatro cordas, este trecho pode ser tocado nas quatro primeiras cordas de um contrabaixo de seis cordas. Para a construção melódica das frases o baixista utilizou a escala de Mi menor natural, sendo que nesta parte Stanley explora muito o vibrato sobre as notas mais longas e também algumas apogiaturas, que dão um brilho muito maior para uma melodia um pouco mais simples.



Esta foi a primeira parte da coluna sobre o estilo de Stanley Clarke. Estudem e escutem as músicas deste grande músico que foi uma das maiores inspirações para diversos contrabaixistas ao redor do mundo.
Um abraço e até a próxima coluna!

Nenhum comentário: