segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Genesis - Selling England by the Pound

Selling England by the Pound

O Genesis foi formado na Inglaterra no ano de 1967, por Peter Gabriel (vocal, flautas, percussão e oboé), Mike Rutherford (contrabaixo, guitarra e cítara), e Tony Banks (órgão, guitarra, piano e teclado). Com aproximadamente 150 milhões de álbuns vendidos em todo o mundo, o Genesis é considerado um dos 30 maiores artistas de todos os tempos. A banda se destacou por mais de três décadas e é conhecida por duas fases musicais diferentes. Na fase inicial da carreira durante a década de 70, tornaram-se uma das bandas mais reverenciadas do Rock Progressivo por apresentar em seus trabalhos, estruturas musicais complexas, instrumentação elaborada e apresentações teatrais. Criações clássicas da banda nesse período incluem os álbuns "Nursery Crime", "Foxtrot" e "Selling England by the Pound" de 1973 que seria o primeiro disco a alcançar o mercado americano, sendo que desde então todos os álbuns da banda foram sucessos absolutos de vendas. A partir da década de 1980, sua música tomou um caminho distinto em direção ao pop, os tornando mais acessíveis para a cena musical.
O álbum analisado nesta coluna é “Selling England by the Pound”, composto de 8 faixas o álbum é rico em composição, elementos de música erudita, compassos alternados, duetos entre os instrumentos e longas seções instrumentais nas músicas, uma obra prima criada por cinco músicos geniais. Este disco conta com Steve Hackett (Guitarras), Phil Collins (bateria, percussão, backing vocal e vocal em "More Fool Me) além de Rutherford, Peter Gabriel e Tony Banks. O baixista inglês Mike Rutherford (nascido Michael John Cleote Crawford Rutherford em 2 de outubro de 1950 em Guildford, Surrey) além do Contrabaixo, toca neste álbum guitarra e cítara, então não estranhem partes das músicas em que não há contrabaixo. A linha de baixo de Rutherford é conhecida por ser bem construída e com grande base técnica e de inovação. As faixas que compõe o álbum são, "Dancing with the Moonlit Knight", "I Know What I Like (In Your Wardrobe)", "Firth of Fifth", "More Fool Me", "The Battle of Epping Forest", "After the Ordeal", "The Cinema Show", "Aisle of Plenty".

Análises


Dancing With a Moonlit Knight

A música abre o álbum em grande estilo, com vários trechos em contraponto, como a base da voz. A parte transcrita corresponde ao dueto de baixo e teclado que ocorre por volta de 4’59”. Preste atenção nas fórmulas de compasso, que mudam diversas vezes ao longo do trecho. Sem harmonia fixa, as frases são executadas em uníssono sobre a escala de G Maior, com alguns cromatismos nas passagens.


The Battle of the Epping Forest

A quinta faixa do álbum possui uma linha de baixo muito bem construída, com frases de difícil execução. Abaixo esta transcrito o trecho relativo à base de voz, que se inicia em 1’13”. A levada foi criada sobre uma fórmula de compasso pouco usual (7/4) e com base na escala de B maior. Esta frase é alternada com outras durante os momentos cantados.


I Know What I Like

Esta é a música mais conhecida do álbum. É simples, mas com refrão marcante e uma linha de baixo inteligente de Mike Rutherford. Nos dois primeiros compassos, o baixista utiliza a escala de A Mixolídio e, no terceiro e quarto, de D maior. Preste atenção nas síncopes.


Firth of Fifth

O trecho transcrito, que está na tonalidade de Bb , diz respeito a base do tema do teclado, que começa por volta de 4’33”. É preciso bom conhecimento de leitura musical para interpretá-lo, já que é usada uma fórmula de compasso difícil de ser entendida (13/16). O baixo executa diversas aproximações cromáticas com oitavas no segundo compasso.




Até a próxima semana e bons estudos!

2 comentários:

O Xereta disse...

Valeu Fernandão!!!

Coisa Linda essa Bass Clinic do Genesis!!!

Abraços!!!

Fernando Tavares disse...

Valeu Mestre Eric!
Obrigado por acompanhar o Blog